Grandes Desafios – Por Jacob Pétry

agosto 27th, 2013 by J Menezes

Quando observamos a ação de pessoas diante de um grande desafio, o que vemos, basicamente, é que elas se dividem em dois grupos. Um enfrenta pressões com persistência, insiste em seus propósitos, reforça e reafirma sua decisão, tenta incansáveis alternativas até atingir seu intento, encara os desafios com coragem, provoca experiências transformadoras, intensas e radicais na sua visão de mundo e na sua forma de viver. E qual o resultado obtido? Esse processo eleva os níveis de crescimento pessoais, profissionais e espirituais; desperta potenciais inconscientes como sabedoria, paixão, entusiasmo, e ativa outras habilidades inatas que estão escondidas em nós. Esse é o tipo de pessoa que percebe tudo como uma chance de mudar e melhorar, vê suas experiências (positivas ou negativas) como uma oportunidade natural de crescimento, cada desafio é uma oportunidade de aprender, expandir e evoluir.

O outro grupo, a grande maioria, é daqueles que cometem o erro da racionalização. Essas pessoas usam a razão para inventar uma explicação consistente e aceitável para isentar-se de si e dos outros do conceito de fracasso. Quando não conseguem realizar seus negócios, acusam as circunstâncias, quando não atingem seu intento, tendem a denegri-lo na tentativa de diminuir a gravidade de seu insucesso.

Essas pessoas são controladas pelo pensamento e emoções. Suas ações são limitadas pela sua própria crença. Elas são vítimas das circunstâncias, escravas das causas externas sobre as quais não têm controle. Na verdade, são escravas das limitações que elas próprias se impõem. A constante necessidade em justificar-se diante da vida, em arranjar desculpas para sua responsabilidade, é o que leva a maioria das pessoas ao fracasso. Desafios geralmente surgem quando assumimos compromissos e estabelecemos novas metas. Não reclame, resolva-os e cresça com eles!

Comentários

Comentar

;
;