10 Razões para Malhar

outubro 28th, 2011 by Henrique Autran

Os números são chocantes. Somente 3 em cada 10 americanos são ativos o suficientes para permanecerem saudáveis e em forma. Cerca de 4 em cada 10 admitem que são completamente sedentários a despeito da grande quantidade de estudos que comprova a eficácia dos exercícios físicos como preventivos, e, até mesmo, antídoto para a doença. Em que lado você está? Por que?

Atividade física regular faz uma enorme diferença na qualidade e quantidade de sua vida, um fato comprovado  por centenas de estudos sólidos e fundamentados.

Resumindo, exercícios físicos fazem o seguinte:

1- Diminuem o risco de doenças do coração, o assassino      N. 1 nos EUA. Como? Exercícios regulares estimulam o aumento do número de vasos sanguíneos que nutrem o miocárdio, ajudam a prevenir a aglomeração de plaquetas, pois estimulam um equilíbrio mais saudável dos lipídeos sanguíneos (HDL, LDL e Triglicerídeos) e ajudam as artérias a manterem-se resilientes independente dos efeitos da idade. Mesmo que você já tenha alguma doença do coração, o exercício diminui as chances que você morra devido a ela.

2- Diminuem a pressão sanguínea, um perigo para muitos sistemas do corpo. Hipertensão a longo prazo dobra ou triplica o risco de falhas no funcionamento cardíaco e ajuda   a pavimentar o acesso para outras doenças do coração, infartos, aneurisma da artéria aorta, doenças renais ou colapso renal.

3- Ajudam a prevenir diabetes através da diminuição do excesso de peso, diminuindo os níveis de açúcar no sangue, aumentando a sensibilidade à insulina para que seu corpo precise menos dela. Se você tem diabetes, o exercício ajuda no controle do açúcar no sangue.

4- Reduzem o risco de desenvolver câncer no Cólon,    Mama, Endométrio (Útero) e Próstata. Mantendo você no peso saudável, exercícios também diminuem o risco de outros cânceres nos quais a obesidade é um fator.

5- Ajudam a fortificar os ossos, que atingem o maior grau   de força e densidade nas primeiras 3 décadas de vida. Ao longo do tempo, os ossos tornam-se cada vez mais fracos com a diminuição da densidade. Quando combinado com Cálcio, Magnésio e Vitamina D, os exercícios com peso, corrida ou caminhada ajudam a fortificar os ossos.   Atividades de equilíbrio como Yoga e Tai Chi Chuan ajudam na prevenção de quedas que podem levar a fraturas fatais.

6- Ajudam a proteger as articulações diminuindo as inflamações, dor e fadiga mantendo as cartilagens saudáveis. Músculos fortes apóiam as articulações e diminuem a carga sobre elas. Atividades que aumentam a flexibilidade como alongamentos, Yoga e Tai Chi aumentam   a amplitude dos movimentos.

7- Podem limitar ou até mesmo reverter problemas de joelho através do controle do peso pois cada 1kg de peso extra corresponde a 4kg de carga no joelhos, de acordo com a Arthritis Foundation (Fundação da Artrite).

8- Melhoram o espírito através da liberação de hormônios que melhoram o humor, aliviando o estresse e promovendo sensação de bem estar.  Em alguns estudos, exercícios regulares ajudaram a diminuir depressão moderada de forma tão eficiente quanto as medicações. Combinando exercícios, terapia e engajamento social é ainda melhor.

9- Pode melhorar sua habilidade de evitar infecções, como mostrado em 3 estudos randômicos com mulheres que andaram vigorosamente por 35 a 45 minutos por dia, durante 5 dias por semana num período de 12 a 15 semanas, e experimentaram metade dos sintomas de resfriado quando comparadas com um grupo sedentário. Pesquisas adicionais mostram que os exercícios promovem um aumento discreto do número de células NK e glóbulos brancos, que ajudam a diminuir as infecções.

10- Acrescentam anos a sua vida. No estudo de longo prazo Framingham Heart Study, a atividade física moderada aumenta 1.3 anos em homens e 1.5 anos em mulheres quando comparadas com baixa atividade. Aumentando para atividade intensa, o aumento foi de 3.7 anos para homens e 3.5 para mulheres. Outro estudo separado com 10.000 homens de 20 a 82 anos de idade examinados e testados 2 vezes por ano em 5 anos de estudo mostrou que aqueles que fizeram o esforço de mudar de “fora de forma” para “em forma” diminuiu o risco de morte em 44% quando comparado com aqueles que permaneceram sedentários.

Comentários

Comentar

;
;